Alimentação natural pode ser orientada sob várias vertentes. Pode ir desde alimentação vegetariana, macrobiótica, vegan, até simplesmente uma alimentação com a busca do que é inerente à natureza, simples e de preferência, muito saudável.

 

Pirâmide da Dieta Vegetariana

 

A busca aos ingredientes a serem usados e o critério dessas escolhas  pode ser o fator que tornará ou não seu alimento natural e saudável.

Quanto mais in natura, mais próximo à natureza puder ser obtido e preparado, melhor. O evitar alimentos industrializados, plenos de químicas, processos em massa e conservantes, com certeza, é muito importante. Alimentos orgânicos, cultivados sem agrotóxicos, sem conservantes, sem remédios ou criados dentro de especificações da lei que classifica-os como orgânicos com seu  selo de autenticidade são aqueles que deveríamos colocar dentro de nossas cozinhas sempre.

Se no preparo do alimento for usada cocção, que seja cuidada, consciente e com conhecimentos para que não sejam perdidos os elementos nutricionais desse alimento e que traga sim a valoração do mesmo, tanto em termos de cor como textura, sabor, aroma e aparência. O ser humano invariavelmente usará todos esses critérios ao consumir sua comida, (ou deveria fazê-lo- deixando um pouco de lado a pressa e o viver no automático) para ter uma alimentação natural e principalmente saudável.

Não pense que essa alimentação não lhe dará trabalho. Dará sim, consumirá tempo e energia para a limpeza, preparo e apresentação desses alimentos. Sinceramente, essa dedicação poderá lhe proporcionar um grande bem estar, saúde e a sensação de estar bem saciado e  alimentado e melhor, de ter feito corretamente sua ‘lição de casa’, respeitando esse corpo, essa máquina maravilhosa que sua alma habita.

O equilíbrio dos tipos de alimentos escolhidos também é importante que seja bem olhado, para isso entra o trabalho do nutricionista, que pode melhor orientar cada um, dentro de suas preferências pessoais. Encontramos em vários sites de nutrição e alimentação vegetariana as tão faladas pirâmides alimentares que orientam quais alimentos devem ser consumidos em maior ou menor proporção.

A Pirâmide  ovo-lacto-vegetariana que, como diz o nome, permite o consumo de ovos, lácteos e seus derivados mas não carne, peixes ou aves; em sua base estão os cereais integrais, massas e pão de um lado e legumes, soja e derivados de outro:

Pirâmide Ovo-Lacto Vegetariana

Fonte: http://universoalimentos2.blogspot.com/2010/08/10-dicas-para-uma-dieta-vegetariana.html

Já na pirâmide vegan não aparecem alimentos de origem animal:

Pirâmide Vegan

fonte: http://universoalimentos2.blogspot.com/search?q=pir%C3%A2mide+vegetariana&searchsubmit.x=0&searchsubmit.y=0,

A Pirâmide da Dieta Mediterrânea, tão comentada,  com atividade física cotidiana inclusa, tem como base pães, massas e carboidratos em geral:

Pirâmide da Dieta Mediterrânea

fonte: http://www.sonutricao.com.br/conteudo/alimentacao/p3.php

As Pirâmides Funcional e de Harvard, que dão ênfase ao exercícios, integrais,  consumo de água e óleos vegetais o que parece ser a concepção mais atual de equilíbrio alimentar para o caso de pessoas não vegetarianas:

 

Pirâmide Funcional e de Harvard

fonte: (http://www.sonutricao.com.br/conteudo/alimentacao/p4.php

Após esse passeio entre pirâmides alimentares onde cada um escolhe a sua vertente, desejo apenas ressaltar a importância do livre-arbítrio de cada um, da consciência presente e da busca ao equilíbrio nas escolhas do alimento de cada dia.

 

Volto agora o foco para a gastronomia, minha base, e sugiro começarmos uma alimentação saudável a partir de um simples e saboroso arroz integral.

 

ARROZ INTEGRAL BÁSICO

1 xícara de arroz integral (prefiro o cateto por achar mais saboroso)
1 lance de azeite de oliva
1 dente de alho pequeno bem picado, ralado ou triturado
Sal a gosto
2 xícaras de água quente

Extras

Gersal a gosto (gergelim preto e branco torrado ligeiramente na frigideira e moído)
Gotas de limão
orégano
Folha de limão kafir
Pimenta-do-reino banca moída na hora
Queijo parmesão ralado
Azeite de oliva extra-virgem temperado

Preparo:

Lavar o arroz e deixar de molho por meia hora em água fervente. De preferência numa panela de pedra, refogar o alho no azeite de oliva até exalar seu aroma (suar o alho), acrescentar e o arroz escorrido.

 

 

Refogar ligeiramente, acrescentar a água e o sal. Se quiser acrescentar os temperos extras, nessa hora colocar orégano, pimenta do reino, folha de limão e as gotas de limão. Quando levantar fervura abaixar bem o fogo e tampar a panela.

 

 

Deixar ferver até os grãos estarem macios, al dente, e absorverem toda a água sem grudar no fundo da panela.

 

 

 

Se quiser usar mais extras sugeridos, colocar um pouco de azeite extra-virgem temperado, gersal e parmesão depois de servir na travessa. Fica uma delícia! Bom apetite!

Conheça meu blog de pâtisserie: http://ehbb.blogspot.com/