Deusas da Galeria Celestial

Obra mostra deusas representadas pela tradição artística do Tibete e do Nepal

Esta belíssima publicação sobre arte oriental foi criada por Romio Shrestha, um artista Nepalês do vale de Katmandu (Nepal), que pinta no estilo Newari. Shretstha vive parte de seu tempo no Nepal e parte na Irlanda, com sua esposa, Sophie, e quatro filhos.

O livro retrata, pelas mãos habilidosas de Shrestha, as inúmeras faces da deusa que representa a força feminina que anima o Universo. No total, 52 obras estão reproduzidas na publicação, que para assegurar a melhor reprodução dos detalhes foi impressa num formato fora do usual: 42,5 cm x 61 cm.

O texto está traduzido para o Português, e foi editado pela Editora Paisagem, de Portugal. Conta com prólogo de Deepak Chopra, prefácio de Caroline Myss e Posfácio de Andrew Harvey, que ajudam a compreender a profundidade artística e a importância cultural dos trabalhos ali apresentados.

Este livro está disponível, no Brasil, na livraria Cultura, que você pode acessar pelo link da imagem da capa ou pelo banner abaixo.

 

Uma ilha chamada Brasil

Uma Ilha Chamada Brasil

Para quem gosta de curiosidades sobre nossa história, essa é uma leitura obrigatória. Geraldo Cantarino faz nesse livro uma viagem pelas origens do nome “Brasil”, e leva o leitor ao contato com informações surpreendentes. Muito longe de estar resolvida essa questão do nome do Brasil, Cantarino nos revela que ela é um nó desatado que falta resolver em nosso passado.

Com uma linguagem despojada e clara, muito diferente do habitual em livros que tratam de história, Cantarino avança pelas hipóteses levantadas ao longo dos séculos, sem o compromisso do acadêmico que quer sustentar a própria tese. Mostrando liberdade de espírito, ele chega até mais de três mil anos atrás, quando os celtas designaram “Brazil” uma ilha mítica que se localizava a oeste, para dentro do oceano Atlântico.

Para aqueles que ainda acreditam que o Pau Brasil, a árvore que segundo Alexander Von Humboldt emprestou seu nome ao território, é a melhor explicação para o nome do Brasil, a leitura dessa obra pode abrir um extenso horizonte de novas reflexões. Talvez realmente a história do Brasil esteja imersa em um cenário muito maior e mais profundo do que os meros 500 anos que costumamos atribuir a ela. Só por essa razão já vale a pena a leitura desse delicioso livro.

Como é de se esperar em um trabalho que rasga teses pasteurizadas e oferece novas possibilidades de leitura de nosso passado, alguns historiadores levantaram a voz contra o esforço de Cantarino, alegando que a obra tem pouca sustentação acadêmica. Pois bem, essa é justamente a qualidade que caracteriza um empreendimento inovador no mundo das idéias. Se todo mundo ficasse preso aos estreitos limites do pensamento acadêmico, certamente perderíamos o entusiasmo intelectual e o mundo emperraria por medo das inovações.

Leitura recomendada!

A perversidade banalizada

Às vezes nos perguntamos por que determinadas pessoas são tão cruéis em sua relação íntima com os outros. É difícil compreender que razões levam alguém a odiar uma pessoa que só tem amor para lhe oferecer. Mas esse comportamento surpreendentemente perverso é muito comum, embora seja dissimulado pela vítima, que esconde a atitude maldosa de seu agressor, receosa de complicar ainda mais a sua situação. O quadro complexo das ações perversas sobre pessoas próximas é o objeto de estudo da vitimóloga Marie-France Hirigoyen, que com uma linguagem bastante clara e direta nos oferece uma visão precisa desse problema social, em seu livro “Assédio Moral – A violência perversa no cotidiano”. Fazendo a ressalva de que todos temos nossos momentos de perversão, ela estabelece como foco, no entanto, apenas aqueles indivíduos que fazem da destruição da integridade alheia a sua rotina diária.

Essa obra pode ser de grande utilidade para quem possa estar sob assédio sem ter disso consciência. A autora elucida o tema com precisão e dá ao leitor um roteiro de providências que devem ser adotadas para interromper o ciclo destrutivo da perversão em seus relacionamentos pessoais ou profissionais. Os exemplos levantados retratam situações reais que ilustram bem o assunto e permitem uma percepção clara de seu alcance psicológico e social.

Recomendamos essa leitura com a convicção de que muito sofrimento pode ser evitado quando temos uma visão elucidativa e prática de um problema como esse. Mesmo que o leitor tenha a sorte de ser poupado da perversidade alheia, ainda assim poderá enxergar esse quadro de assédio em pessoas próximas e fortalecer moralmente uma potencial vítima, para que ela escape das armadilhas que surjam em seu caminho.

Para adquirir este livro na Livraria Cultura, basta clicar na imagem da capa.